segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Clube do Teatro, um cabaré de atores!

Logo criada por Marcos Souza.
Todo ator que se preze quer palco, não para "aparecer", mas, principalmente, para exercitar o ofício e levar suas pesquisas para o público. Por isso criamos o CLUBE DO TEATRO, um evento focado nos experimentos dos atores que queiram mostrar seu trabalho. Este primeiro evento, vamos estrear com uma turminha boa. Artistas que já experimentaram seus trabalhos em outros eventos como o Fest Solos e o Festival de Teatro do SATED. O Conceito deste novo evento, promete tirar os atores de Cabo Frio e Região, da letargia e falta de palco, para que possam expor, numa vitrine artística, o melhor de sua linguagem individual e coletiva.  A curadoria inicial, desta primeira edição, foi feita com o proposito de juntar um time de pioneiros e que dará o mote para as novas participações, conforme o evento for acontecendo e crescendo.

Um evento para exercitar o fazer teatral, num formato de cabaré.

A prática de juntar atores para mostrar seus experimentos, não é nova e remonta aos antigos cabarés, onde os atores cômicos revezavam com músicos e orquestras, nos cafés da Europa; os mais famosos eram os de Paris e Berlim. A tradição dos cabarés, no entanto, teve seu auge no período após a primeira guerra mundial, e virou um luxo durante e após a segunda grande guerra! Devido às crises econômicas, os artistas passaram a se unir e mostrar seu trabalho par um público que se apinhava enfrente ao teatro.

Nossa primeira lista de convidados para o dia 26 de Agosto.

“COMO SER UM ARTISTA REALMENTE INTERESSANTE” 
ATOR: ANDERSON SOUZA
DIREÇÃO: NATHALLY AMARIÁ
TEXTO: RAPHAEL ARAÚJO
DURAÇÃO: 8 MINUTOS
CLASSIFICAÇÃO: 12 ANOS
“PEQUENA NOTÁVEL” 
ATRIZ: TAMIRES BORGES
DIREÇÃO: JIDDU SALDANHA
TEXTO: TAMIRES BORGES
DURAÇÃO: 10  MINUTOS
CLASSIFICAÇÃO: 14 ANOS
O INCRÍVEL E MARAVILHOSO BATMAN"
ATOR: THIAGO MANZO
DIREÇÃO: THIAGO MANZO
TEXTO: ADAM DRIVER – ADAPTADO POR THIAGO MANZO
DURAÇÃO: 10 MINUTOS
CLASSIFICAÇÃO: 12 ANOS
“14...15...16...” 
ATOR: CELSO GUIMARÃES JÚNIOR
DIREÇÃO: JIDDU SALDANHA
TEXTO: CELSO GUIMARÃES JÚNIOR
DURAÇÃO: 12 MINUTOS
CLASSIFICAÇÃO: 14 ANOS
“A BOA MARIA DO MAR”
GRUPO: TCC – TEATRO CABOFRIENSE DE COMÉDIA
ATRIZ: PÉROLA HATAKE
DIREÇÃO: NATHALLY AMARIÁ
TEXTO: LETÍCIA FERREIRA
DURAÇÃO: 12 MINUTOS
CLASSIFICAÇÃO: 12 ANOS
"FLOR E SILÊNCIO"
ATRIZ: DANDARA MELO
DIREÇÃO: CELSO GUIMARÃES
TEXTO: DANDARA MELO
DURAÇÃO: 10 MINUTOS
CLASSIFICAÇÃO: 14 ANOS
 

"LUA DO SERTÃO"
GRUPO: TEATRAGEM
ATORES: CAIO DANARIM, MATHEUS DCASTRO, THAYANNE TEIXEIRA E YURI QUINTANILHA 
DIREÇÃO: CELSO GUIMARÃES
TEXTO: MATHEUS DCASTRO
DURAÇÃO: 15 MINUTOS
CLASSIFICAÇÃO: LIVRE

sábado, 12 de agosto de 2017

Circuito TRIBAL de Artes, hoje no USINA4 - Espetáculo de Jiddu Saldanha.

Para quem não sabe, TRIBAL significa Associação Tributo à Arte e À Liberdade.

Hoje começa o Circuito TRIBAL de Artes e, quem vai inaugurar, será o espetáculo "Por Detrás do Silêncio", de Jiddu Saldanha e Álvaro Assad.  Pantomimas clássicas e contemporâneas interpretadas por Jiddu, mostrando um pouco da hoje, raríssima, pantomima teatral. Nos últimos 30 anos, os mímicos da geração 80 e 90, são os poucos que ainda preservam a pantomima em seus repertórios. Uma geração que veio no rastro de mestres como Ricardo Bandeira, Luis de Lima, Vicentini Gomes e Lina do Carmo e a referência mundial, o inesquecível do mestre francês, Marcel Marceau.
Com uma agenda de diversos artistas associados, que farão apresentações para ajudar a tirar a associação de sua crise financeira. Perto de completar 14 anos de existência, a TRIBAL construiu seu legado, junto aos artistas da cidade, oferecendo suporte técnico, produzindo reflexão crítica e apoiando produções locais. Tornou-se onipresente em festivais locais, cedendo seus equipamentos e reforçando a necessidade de construir um caminho de profissionalismo e autonomia para os artistas.
Chegar até aqui, entretanto, não foi tarefa fácil. A associação discute coletivamente todas as suas ações e, enquanto não chega a um acordo coletivo, os projetos não saem do papel. Desta forma, o ritmo, parece ser lento, mas não é. Quando os olhares se encontram e os projetos começam a acontecer, uma produção rica em diversas áreas começam fluir e tudo parece ser espontâneo, mas não é. Cada ação é o resultado de discussões, reflexões e uma longa espera até o ponto zênite de cada realização.

Criado em 1991, o espetáculo "Por Detrás do Silêncio" está em cartaz até hoje. Foto: Ricardo Schmith


O Circuito Tribal de Artes, em primeira mão, tem o objetivo de socorrer, financeiramente, a associação, mas é um evento que, sem dúvida, veio pra ficar e, não há dúvida, que mais uma vez, a associação vai se reinventar, sempre colocando, no foco, o artista, sua criação e presença, no cenário artístico da região.

SEVIRÇO
😃 Circuito TribAL de Artes apresenta:
“Por detrás do Silêncio” - Espetáculo de Mímica com Jiddu Saldanha
Dia 12 de agosto (sábado) às 20h 
Local: USIN4 – Rua Geraldo de Abreu, No 4 – Jd. Excelsior – Cabo Frio/RJ
Entrada: R$ 10 (meia/antecipado) e R$ 20 (inteira)
Indicação 10 Anos
Infos: 22 97401-8090
(Apenas 50 ingressos, garanta o seu!!!)

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

TCC - Teatro Cabofriense de Comédia no Teatro Popular de Rio das Ostras.

Apesar de intensa militância no fazer mímico da Região dos Lagos, meus espetáculos aqui, são raros. Mas quando acontece, é inesquecível, para mim e para o público que me prestigia.

Experimentar viver e criar, dentro de um contexto onde a arte da mimica pode ser transmitida para as novas gerações a
partir dos artistas das novas gerações.

Nathally Amariá e Jean Monteiro
Viagem ao Mundo da Mímica.
Lembro que, quando cheguei em Cabo Frio, em 2004, dei uma oficina de mimica e fiz uma abertura no festival estudantil, o FESTUD, depois disso, dei outras oficinas, até que, em 2010, fiz um espetáculo inteiro, em comemoração do aniversário do Teatro Municipal, Inah de Azevendo Mureb. No Fest Solos I, em 2014, abri com meu espetáculo "Por Detrás do Silêncio", e fui convidado, também, para o FESTUD em 2015, onde me apresentei com a Estúpida Trupe, uma bela lembrança da minha carreira, onde pude contracenar com a nova geração de artistas de Cabo Frio, destacando os artistas Daniel Arm e Nathally Amariá.
Agora, em 2017, recebo um convite para me apresentar num belíssimo teatro. O Teatro Popular de Rio das Ostras, tem uma história rica e exemplar, para a Região dos lagos, no Rio de Janeiro. Ha muito que Rio das Ostras virou rota do fazer artístico local e internacional, e seu teatro, além de belíssimo, por fora e por dentro, já é sinônimo de lugar onde o público comparece e arte frutifica. 
Estou indo para lá, com o coração cheio de alegria e muita energia, para mostrar meu repertório de mímica clássica e contemporânea, ao lado de dois artistas das novas gerações: Jean Monteiro e Nathally Amariá. São jovens que identificaram no fazer artístico, a veia profissional, e que, sem dúvida, despertaram para a arte da palhaçaria, da mímica e do teatro, um grande talento. Nada como desfrutar dessa nova descoberta, fazendo meu espetáculo "Viagem ao Mundo da Mímica" e seguir proporcionando aos novos artistas, a oportunidade de conhecer um OFÍCIO cheio de possibilidades, abraçar o palco e conhecer grandes teatros.


Um teatro é um teatro. Por fora e por dentro, o Teatro de Rio das ostras é rota do melhor que acontece nas artes cências
brasileiras. E agora, estará recebendo espetáculos de mímica.
Com uma história recente, mas muito rica, o Teatro Popular de Rio das Ostras, é um templo da cultura. É um prazer levar, além dos trabalhos da Estúpida Trupe e o TCC - Teatro Cabofriense de Comédia, um pouco da experiência angariada ao longo de 3 décadas de vida dedicada ao teatro, com altos e baixos, mas com o coração cheio de esperança no futuro e nas novas gerações.


A Arte da Mímica, cada vez mais forte, no Interior do Estado do Rio de Janeiro, do local, para o Universal.
SEJA NOSSO CONVIDADO

domingo, 23 de julho de 2017

"Se eu Fosse Iracema" - Crítica de José Facury ao Solo Teatral, de Adassa Martins

SE EU FOSSE IRACEMA 
Ontem, dia 22 de Julho, no Teatro Quintal, em Cabo Frio, Adassa Maritins apresentou seu solo teatral "Se eu Fosse Iracema". Arrebatou o público. José Facury escreveu esta crítica.


"Se eu Fosse Iracena" - Direção: Fernando Nicolau.

Pegar um discurso em defesa de uma etnia e colocar em cena, mesmo pautado em testemunhos reais, pode ser uma tarefa interessante como exercício intelectual para extração de possíveis conflitos. Agora, ao ponto de aguçar o interesse do espectador, geralmente o faz permanecer no nível da leitura panfletária, principalmente se a narrativa for entregue a um interprete branco. Tudo isso poderia trair uma empreitada, mas não é o que se vê no espetáculo Se Eu Fosse Iracema, em cartaz no Teatro Quintal, interpretada pela meticulosa e carismática atriz Adassa Martins que, juntamente com a minuciosa e criativa direção de Fernando Nicolau constrói e desconstrói momentos de rara beleza. Ali, o excesso narrativo é diluído em partituras que se complementam com máscaras e vocalizações muito bem elaboradas entre o butoh, o coloquial e o distanciamento brechtiniano que nos é servido ao redor de um tronco cenográfico serrado, plantado no palco onde emanam as dores das perdas silvestres, juntamente com a dos silvícolas que ali fazem suas oferendas e purgações a cada dia. Se eu fosse Iracema, é um solo magistral amarrado na historia dos sentimentos poéticos de uma velha índia contadora que desenvolve transições em outras personagens que fazem o contra ponto ás vezes criveis e em outras de provocadora ironia, para extrair daí o conflito, que foca muito mais na narrativa por ela mesma, do que nos possíveis e imaginários coadjuvantes, como é comum nos solos físicos. Enfim, experiencias que somente o teatro pode expressar quando desenvolve os relatos viscerais das nossas perdas históricas colocando essa obra em uma instigante encenação na plêiade dessa técnica. E mais que justa a indicação da nossa atriz ao Prêmio Shell.


José Facury Helluy

domingo, 9 de julho de 2017

Fest Solos questiona o machismo histórico no teatro, e promove um debate só com mulheres.

Algumas pessoas questionaram a decisão da produção do Fest Solos em promover um debate apenas com mulheres, falando sobre a vida artística das mulheres do teatro, na Região dos Lagos: "Vocês são loucos, as feministas vão acabar com o evento"! Comentário como este nos fez aumentar a paixão e radicalizar. Somos todos feministas... Desejamos que elas falem de teatro, e toda fala será bem vinda! Uma roda que junta Silvana Lima, Meri Damasceno, Jane Lacerda, Nayara Gomes, Rafaela Solano, Manuela de Lelis, Tania Arrabal e Deborah Diniz é simplesmente uma explosão do que há de melhor, não apenas nas artes locais, mas também, pelo que todos estamos passando. Cabo Frio e seu teatro, trazendo para a discussão, a voz do amanhecer. A mulher conduzindo a frenética força do teatro local.
O Feminismo é algo que está intrínseco ao Fest Solos. Claro que nossa bandeira é o teatro, mas não podemos deixar de marcar que mulheres como Nathally Amariá e Ana Luiza Barbosa, estão à frente deste evento, cada vez, mais imprescindível para a cena teatral de Cabo Frio. Também é bom lembrar que a mulher é a grande força que move o Fest Solos. Este ano, em número maior, no palco e como em todos os anos anteriores, a força voluntária que estimula o evento é, também, em sua maioria, feminina.. Não tem jeito, agora é hora de aprender, compreender e reinventar o caminho que devolva ao mundo sua real natureza. O mundo é MULHER!

sexta-feira, 7 de julho de 2017

Varal do Beijo - A Invasão da cor, luz e traços, no mundo do teatro!

Marcelo Tosta, Lorena Benevenuto e Rapha Ferreira. Um grande encontro entre o olhar do artista visual para a realidade carnal do TEATRO!

Rapha, Marcelo e Lorena - A invasão do olhar, de quem vê o mundo
pela luz, cor e traços!
Desde 2014, quando iniciou sua atividade no Cine Mosquito, o Varal do Beijo vem mostrando, de forma inusitada, o trabalho de artistas visuais da cidade de Cabo Frio e região dos lagos. São criações incríveis, exposta de forma a buscar olhares e fomentar o diálogo entre as artes. Uma sacada incrível da jovem atriz e produtora, Nathally Amariá, que cursa faculdade de Artes Visuais.
Foram muitos os artistas visuais amadores e profissionais, que expusera no Varal do Beijo, além de um acervo incrível, adquirido de artistas de diversos lugares do Brasil, a dinâmica deste varal é, o sentido de mostrar e trocar informações sobre a vida artística de desenhistas, pintores e fotógrafos, e suas formas de produzir para dialogar com o olhar do público em geral.
O varal do Beijo, estará acontecendo no FesTSolos IV, do dia 07 ao dia 09, no USINA 4. Mas promete continuar em outros eventos, além de sua presença assídua no Cine Mosquito!

Com curadoria de Nathally Amariá - Artistas da Região, cada vez mais, estão marcando presença nos eventos de cinema e
teatro. É a arte, conquistando novos espaços e artistas se revelando para o mundo - Foto: Jidduks
Quando curadoria e artistas se encontram, o resultado é um olhar refinado, inquieto e profundamente artístico.
Nathally e Lorena - Foto: Jidduks
Viver e manusear obras de arte, é a vocação do Varal do Beijo - Foto: Jidduks

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Nadir Pires, apresentará duas tardes do Fest Solos.

Depois de surpreender como apresentadora do Cine Mosquito 67, não teve jeito, tivemos de convidá-la, também, para o Fest Solos. Seu talento, já é conhecido de todos. Mas talento e beleza não explica tudo sobre esta jovem e dedicada atriz da Região dos Lagos. Nadir Pires, é assídua e focada, o que faz dela uma profissional, com DRT e tudo. 
Nas mostras diurnas dos dias 08 e 09 de Julho, sábado e domingo, ela estará com a gente, dessa vez, apresentando o evento, mais uma vez, abrilhantando a tarde dos cabofrienses que curtem ir ao teatro e que gostam de estar no Fest Solos. Ficamos todos felizes quando ela aceitou o convite e isso irá contribuir para o crescimento deste evento que veio para ficar. Já é quarta edição do Fest Solos e a cidade toda está feliz por viver mais este momento de energias criativas para o teatro e as artes locais.

Leia esta breve entrevista concedida a Jiddu Saldanha, no início do ano, para o blog Cine Clipe Musical, reproduzido aqui. 

Nadir Pires com os amigos de sua geração, no como apresentadora
do Cine Mosquito 67.
Jidduks  – Fale um pouco da tua vida artística, como começou e quais as suas aspirações.
Nadir Pires - Desde que me entendo por gente tenho o sonho de ser atriz. Nunca tive acesso à nenhum tipo de cultura quando era criança, na minha cidade não tinha teatro, meus pais nunca me incentivaram a leitura, não tínhamos dinheiro e nem costume de ir ao cinema. Nas escolas em que frequentei não tinham nenhum projeto ligado a arte. Meu único contato com esse mundo era através da televisão que foi a semente que plantou esse grande sonho no meu coração. E tentando resumir porque já escrevi demais, depois de muito lutar; aparece um anjo na minha vida, que não só apoiou o meu sonho, mas me impulsionou a realizá-lo, pagando minha primeira aula de teatro que fez com que já no primeiro dia confirmasse que jamais seria feliz fazendo outra coisa na vida. Foi no ano de 2014, desde de então nunca mais parei.
JKS- O que é arte pra você?
N. P. - A arte pra mim é uma forma de expressar suas emoções, sua história e sua cultura através de várias formas, como música, escultura, pintura, cinema, dança, poesia ou qualquer outra forma de pôr para fora o que existe dentro de cada um de nós.
No ensaio fotográfico com a Mala da Fama - 2017

JKS – O que mais te emociona e faz feliz?
N.P. - A bondade nas pessoas me emociona, qualquer gesto de bondade, por menor que seja, faz tanta diferença, infelizmente é algo tão raro que quando eu me deparo com certas atitudes, dou muito valor. A natureza em toda sua magnitude me faz feliz, entrar no mar, contemplar o céu mesmo quando está cinzento me faz feliz!

JKS  – Quais seus livros, músicas e filmes preferidos?
N.P. - O meu livro preferido não poderia deixar de ser aquele que mudou a minha vida. O livro "O Segredo" me fez olhar para o mundo de outra maneira, eu realmente descobri o segredo para ter uma vida mais leve com energias positivas e consequentemente me sentir mais feliz.
Quanto à música não tenho como dizer. Sou livre de preconceitos quanto a isso. Escuto de tudo, se me faz sentir algo bom, faz sentido.      

Duas OFICINAS do FesTSolos que serão sempre lembradas. Rodrigo Sena e Marcelo Tosta!

Foi emocionante compartilhar os momentos tão bonitos da arte do ensinar e aprender, com dois artistas bem relevantes, da Região dos Lagos. Marcelo Tosta e Rodrigo Sena, mostraram porque são considerados tão importantes para nossa região. O Fazer teatral, mais do que, ensinar e aprender, é um exercício de troca onde flui o melhor de cada aprendiz e onde o mestre, também aprende. 

Oficina com Rodrigo Sena - "Em Busca de uma Consciência Corpórea"
Foto: Jidduks

Oficina com Rodrigo Sena - "Em Busca de uma Consciência Corpórea"
Foto: Jidduks

Oficina com Rodrigo Sena - "Em Busca de uma Consciência Corpórea"
Foto: Jidduks

Oficina de Marcelo Tosta - "Meu Solo para o Solo do Mundo"
Foto: Jidduks

Oficina de Marcelo Tosta - "Meu Solo para o Solo do Mundo"
Foto: Jidduks

Oficina de Marcelo Tosta - "Meu Solo para o Solo do Mundo"
Foto: Jidduks


quinta-feira, 29 de junho de 2017

Rodrigo Sena e Marcelo Tosta - Oficinas de qualidade. Teatro de Alto Nível!

Para aqueles que curtem viajar para estudar fora, é bom lembrar que fazer arte e fazer turismo, são coisas bem diferentes. Estar na presença de artistas locais, com formação adequada e com histórico de carreira com realização e bons resultados, é a melhor maneira de aliar custo-benefício e ampliar a atividade artística pessoal.


Dois fortes nomes, militantes ferrenhos da vida teatral na região dos lagos, Rodrigo Sena e Marcelo Tosta são patrimônios artísticos locais. Ambos, com diversos talentos, capacidade de mobilizar público e artistas, mas com personalidades completamente diferentes. Uma oficina dos dois profissionais, num mesmo dia, para a mesma clientela, vai proporcionar uma imensa gama de possibilidades onde, certamente, o teatro sairá vencedor.
Serão dois momentos inesquecíveis, resultado de muita transpiração. O Fest Solos conseguiu, este ano, proporcionar este encontro magnífico, para que a troca de conhecimento tenha sua abrangência em nossa Região. Marcelo e Rodrigo, cada um, na sua especialidade, vão levar a reflexão e o fazer teatral como proposta, para ajudar a turbinar os artistas que estão começando agora, e, também, aqueles que já estão a algum tempo no mercado, pois, as oficinas serão abertas a todos e o investimento é completamente acessível para quem quiser participar. A valorização do artista local, passa, também, pelo reconhecimento do fato de que aqui, temos artistas de grande relevância nacional.



Androgina Cianurêta irá apresentar o FesTSolos pelo Quarto Ano Consecutivo.

Desde que surgiu, em 2013, Androgina Cianurêta - a palhaça mais perigosa do planeta tem feito a alegria do FesTSolos. Este ano, pela quarta vez consecutiva, ela mostra seu talento, irreverência a forma completamente "absurda" de envolver o público, com suas tiradas no melhor estilo funéreo.

Androgina Cianurêta - A palhaça mais perigosa do planeta. Foto: Ana Luiza Barbosa
Personagem criada pela atriz Kéren-Hapuk, Androginam está completando 5 anos de criação, desde que pisou pela primeira vez, no palco do teatro municipal, na mostra de cenas curtas do OFICENA - Curso Livre de Teatro,, em 2013, onde aprendeu técnicas de palhaçaria e acabou adotando como parte de sua vida artística a prática bufonica e palhacesca, somando a seu repertório artístico tão variado.
De lá pra cá foi só alegria e bizarrice. Androgina é conhecida como a palhaça que não ri. Num primeiro momento, o público estranha, mas depois, essa estranheza se converte em grande admiração pela alargada criatividade e inventividade da personagem e da intérprete. Um trabalho que envolve muita concentração, além de muitos dias de preparação.

Atriz, Musicista e Diretora Teatral, da nova geração de artistas de Cabo Frio, Kéren-Hapuk faz questão de exercer sua
autonomia e construir seu próprio caminho, como observadora do cotidiano da cidade. Foto: Ana Luiza Barbosa

quarta-feira, 28 de junho de 2017

FesTSolos - O teatro não pode parar!

Atendendo a uma demanda das novas gerações do teatro de Cabo Frio e Região dos Lagos, este ano, o Fest Solos enfrentou sua mais forte crise, mas vai acontecer. Com a agenda garantida, inscrições feitas e jovens destemidos, se preparando, a cada momento, para enfrentar o palco e ajudar o teatro local a não perder seu vigor e presença, na agenda da cidade. Sejam todos bem vindos.

Foto do Terceiro FesTSolos - O vigor e a energia dos artistas locais a serviço da criação de uma ecologia que envolva as
novas gerações, com participação efetiva e ousada no festival!

ESTÁ CHEGANDO O MOMENTO

Dias 07, 08 e 09 de Julho, 5 mostras livres de cenas curtas e outras loucuras no palco, cada uma com um tempo máximo de 12 minutos, vão fazer acontecer aquilo que era e sempre foi um sonho da cidade de Cabo Frio; manter um festival interno que contemplasse atores amadores e profissionais locais, todos focados na experimentação de suas criações artísticas e, também, na ousadia de encarar o palco sozinho, uma experiência única, que marca para sempre. Cria do FESQ, Festival de Teatro histórico de Cabo Frio, o FesTSolos foi estimulado a acontecer e já está na sua quarta edição.
A história recente do Fest Solos, tem sido motivo de grande orgulho para a cidade, mas também, resultado de uma batalha constante para trazer a arte e a novidade de forma empolgante e que inclua todos os tipos de iniciativas. Driblando dificuldades aqui e ali, não perdemos nunca o sonho de vista. O FesTSolos veio para ficar e está ficando. Com força, energia, dedicação e sempre surpreendendo, quer seja pela coragem dos realizadores, em nunca desistir e também pela capacidade que as novas gerações tem de aproveitar o seu "pulo do gato"! Um evento que resume, de forma afetiva e apaixonante, a paixão que faz da arte um meio de  tornar a vida possível para aqueles que não desistem de seus sonhos e querem experimentar sua linguagem.



RODRIGO SENA E MARCELO TOSTA - DOIS BALUARTES DO TEATRO LOCAL, ESTARÃO DANDO OFICINAS PARA O FEST SOLOS - EDIÇÃO Nº 4 - 2017! QUER MAIS?

Rodrigo Sena e Marcelo Tosta - Dois baluartes do Teatro local, emprestam seu amor, simpatia e energia para contribuir com a transmissão de seus conhecimentos em duas oficinas que prometem ser inesquecíveis para a formação do artista local.

Poder contar com dois artistas de peso, que viveram todos os grande momentos do teatro local de Cabo Frio,
vai ser a consagração desses dois fortes nomes do teatro local, que nunca pararam de produzir e agora, mais
do que nunca, transmitem generosamente, seu conhecimento para as novas gerações.
VENHA FAZER A OFICINA COM ELES - AINDA DÁ TEMPO - INSCREVA-SE: Dias 01 e 02 de
Julho.

sábado, 17 de junho de 2017

Merda para o OFICENA - 4º Encontro de Leitura Dramatizada.

Até aqui, o OFICENA vem sobrevivendo a fortes crises econômicas. Apesar disso, não deixa de se reinventar e cumprir sua missão mais importante, iniciar adolescentes e jovens de Cabo Frio e região, na complexa tarefa do Fazer Teatral. Apesar de ser um curso glamuroso e divertido, o curso oferece uma agenda de desenvolvimento para o jovem aprendiz de teatro, onde nada vem fácil. Tudo é fruto de muito trabalho, pequisa e, principalmente, SEGURAR NA MÃO DO AMIGO para, juntos, gritar... "Merdaaaaa"!

Uma Leitura Dramatizada que promete ser um espetáculo à parte... Foto: Nathally Amariá
Leitura dramatizada uma tradição dentro do Oficena-Curso Livre de Teatro da Secretaria Municipal de Cultura de Cabo Frio.

O estudo é o motor da atividade humana, que visa  trazer o conhecimento. Dinamizamos suas etapas para a construção da cena teatral. É por isso que o oficena desenvolve a atividade dramatúrgica como forma de equipar o aluno. O texto escrito é uma das mais poderosas ferramentas do teatro.

Espaço de estudo, reflexão e criação de textos para teatro, o NUDRA = Núcleo de Dramaturgia Livre, faz do pensar e
escrever, uma atividade lúdica e com resultado. Todos os alunos do OFICENA participam e criam suas obras de forma
coletiva ou individual. Foto: Jidduks
ASSIM SURGIU O  NUDRA- NÚCLEO DE DRAMATURGIA LIVRE

Desde da sua fundação, já foram escritas mais de 250 peças textos. Todos desenvolvidos pelos atores  alunos do OFICENA.   A leitura dramatizada é, hoje, parte integrante  da agenda do curso. Os estudantes fazem a leitura pública de suas obras  escritas durante os encontros promovidos pelo NUDRA.  Para este ano  o oficena traz um ar de espetáculo. A leitura como forma de encantamento, que inclui o desfile artístico pelas ruas de Cabo Frio, até o local onde o evento vai acontecer.
Com isso destacamos o trabalho autoral do aluno e mostramos  a qualidade da temática local, uma espécie de pesquisa do inconsciente  autoral, da juventude que faz teatro em Cabo Frio.
ALUNOS ADULTOS - Turno da noite.
Anderson Souza, Caio Danarim, Celso Guimarães, Dandara Melo, Daniel Simões, Danilo Tavares, Jean Monteiro, Júlia Marques, Letícia Ferreira, Lucas Soeiro, Raphael Araújo, Rubenig Rodrigues, Tamires Borges e Wallace Matheus.

Os alunos da tarde, formam o NUDRINHA, e cada trabalho dramatúrgico surge a partir de improvisações que resultam
na criação e escrita coletiva dos textos teatrais. Foto: Jidduks
NUDRINHA : Turma infanto-juvenil, tarde.

O “Nudrinha” é a forma carinhosa como chamamos  a atividade dramatúrgica dos alunos da tarde, infanto-juvenil, nele as discussões acontecem durante as aulas de interpretação como exercícios  de   improvisação de cenas. Assim surge  a elaboração dos textos, de forma coletiva.

quinta-feira, 8 de junho de 2017

SOPA - A PERFORMANCE - Nova fase do TCC - Teatro Cabofriense de Comédia.

A performance "SOPA". Além de inaugurar uma nova fase do TCC - Teatro Cabofriense de Comédia, entra no território da arte conceitual e busca um olhar para o universo da ação cênica, como desinstalação de olhares e ambientes estereotipados.

O desenvolvimento da linguagem cênica, passa por olhares diversos, que não só, e, apenas, o olhar cênico tradicional. O teatro, como o cinema e tantas outras formas de manifestação artística, são olhares e nada mais. No caso de Cabo Frio, olhares que perpassam a URBE-PRAIANA, essa profundidade abissal de formas que se transformam, conforme a cidade mergulha em seu próprio caos. Afunda e emerge, ao mesmo tempo, criando uma espécie de ciranda das essências.
Este é o material dispendido na linguagem da performance "SOPA" que estreou no Centro Cultural Lagos, nas Palmeiras - Cabo Frio, no show da cantora Sarah Dhy, dia 29 de abril de 2017, interpretando a música "Infinito Particular" de Maris Monte. 
O trabalho, desenvolvido pela atriz e estudante de artes visuais, Nathally Amairá, foi repetido no Cine Mosquito 65, dia. A concepção básica deste trabalho é para espaços onde a treatralidade, muito mais que constituída, é construída, em função do ambiente onde a proposta se desenvolve. Com "direção conceitual" de Jiddu Saldanha, é um trabalho cuja visibilidade se constrói, a partir da relação entre atriz, espaço, e platéia, para, assim, fazer brotar o momento cênico.
Sopa - A Performance
Nathally Amariá - No Cine Mosquito 65, vive o momento de um primeiro contato com a
performance como proposta cênica.

Sopa - A Performance 
 Atuação conceitual - Nathally Amariá Andrade
Direção conceitual - JIddu Jiddu Saldanha
Realização: TCC - Teatro Cabofriense de Comédia 
Música: Infinito Particular - Marisa Monte 
Foto: jidduks
Estreia - No Centro Cultural Lagos - Cabo Frio / RJ




quarta-feira, 17 de maio de 2017

Julio Adrião, um "mensageiro da utopia", está Chegando em Cabo Frio!

Um dos grandes nomes do Teatro Brasileiro, atualmente, Julio Adrião está chegando em Cabo Frio para oficinas e apresentações no Teatro Quintal. Lembro das nossas lutas nos anos 90. Julio prum lado e eu pra outro, mas sempre prestigiando seu trabalho, que sempre foi magnífico, independentemente da merecida fama que veio depois. Ele fazia parte da Companhia do Público, um grupo incrível, formado por Marcio Libar e o querido Batata. Faziam apresentações mirabolantes, de rua e espaços não convencionais com uma forte pegada dramatugica. Apesar de ser um elenco fascinante, o que impressionava mesmo, era ver as tiradas do Júlio Adrião.
Julio nunca teve vida fácil, trabalhou muito para conquistar o espaço que tem hoje. Virou referência e inspiração para as novas gerações e é conhecido pelo rigor de seu trabalho, mas também, pela generosidade com que partilha seu conhecimento e a troca com novos atores, sendo sempre acessível e fora das convenções. Para conhecer a qualidade de seu trabalho, para além dele mesmo, basta ver o desempenho da incrível atriz Mariana Jaques, sua discípula assumida. Tem um respeito tão grande pelo mestre, que até mandou tatuar na pele, um desenho de Yuri Vasconcellos em homenagem a Julio Adrião.

Acompanho de perto o sucesso de Julio Adrião, um artista
único, um "mensageiro da utopia"!

Aonde vai, Julio conquista o coração das pessoas, e tem público cativo. Seu nome corre de boca em boca, como referência do melhor do teatro brasileiro. Lembro, no final dos anos 90, quando nos encontrávamos aleatoriamente pelas ruas do Rio de Janeiro, ele sempre estava chegando de alguma viagem, indo ou vindo de um lugar para outro, o artista nômade, que soube fazer da arte, não apenas o seu ganha pão, mas muito mais do que isso, tornou-se uma espécie de "Mensageiro da Utopia". E por isso que Cabo Frio aguarda, com amor, a sua chegada.

no caminho da vida
o encontro é minha arte
preferida


(jiddu)

Jiddu Saldanha - Bloqueiro

quinta-feira, 11 de maio de 2017

Rodrigo Sena e Marcelo Tosta - Dois nomes do teatro da região, estarão no FesTSolos IV

OFICINAS DE PERFORMANCE - FESTSOLOS IV

EM BUSCA DE UMA CONSCIÊNCIA CORPÓREA - RODRIGO SENA
"Pesquisa da descoberta da partitura corpórea do ator, por meio do estimulo sensorial e emocional. Estudos e métodos como Butoh, Rasaboxes, Dança Pessoal e Ações Físicas, são as referências aplicadas nesta oficina."
Rodrigo Sena é Diretor, escritor e professor universitário. Faz parte da Cia. Risco Teatral e é autor do livro de contos e cenas teatrais: "Sopro"

MEU SOLO PARA O SOLO DO MUNDO - MARCELO TOSTA
"O que queremos falar como pessoas no mundo de hoje, diante de nossa solidão e vociferação existencial? Nossa voz, nossa identidade, nosso processo de reconhecimentos, identificações. O mundo iniciado debaixo de nossos pés."
Marcelo Tosta é ator, diretor, dramaturgo, artista plástico, cineasta e um mundo de coisas que ainda estão por serem descobertas. Diretor e fundador da Cia. Religare.

***********************************************************************

SERVIÇO:

* Dias 1 e 2 de Julho (Sábado e Domingo)

* Em Busca de uma consciência Corpórea (Rodrigo Sena) - 9h às 13h

* Meu solo para o Solo do Mundo (Marcelo Tosta) - 15h às 19h

* Local: Teatro Municipal de Cabo Frio Endereço: Rua Aníbal Amador do Vale S/N - Centro - Cabo Frio

*Informações: (22) 9 - 9813-5036 (Nathally Amariá festsolos@gmail.com)

*Fazendo as duas oficinas você ganha um super desconto*

Garanta já a sua vaga!

#fesTSolos #TSIV #oficinadeperformance #cabofrio #rj

sexta-feira, 21 de abril de 2017

FesTSolos IV - Edital. Inscrições PRORROGADAS até 14 de JUNHO de 2017



ATENÇÃO: PRAZO DE INSCRIÇÃO PRORROGADO PARA ATÉ 14 DE JUNHO.

EDITAL
FEST SOLOS IV - 2017
Data: 07, 08 e 09 de Julho.
Local: USIN4 - Cabo Frio

O FesTSolos é um festival criado em 2014, idealizado por Jiddu Saldanha e Nathally Amariá, e conta também, a partir de 2016 com a Ayamô Produções (Ana Luiza Barbosa e Yuri Vasconcellos) que somam na equipe e produção do evento. Ja foram realizados 3 edições.
O FesTSolos e um espaço para o artista mostrar sua pesquisa de linguagem artística e é o primeiro festival de solos do Rio de Janeiro. O fesTSolos é aberto às multiplas linguagens cênicas tais como: Dança, teatro, performance, circo, palhaçaria, mímica, entre outras formas livres de experimento artístico.

Como participar do fesTSolos:

1 - Ter no máximo 12 minutos de duração.
2 - Ter apenas um artista no palco
3 - Não utilizar fogo e nem material inflamável.
4 - Idade mínima de 12 anos.

ATENÇÃO: A produção do FesTSolos não se responsabilizará pela passagem, hospedagem e alimentação dos inscritos no evento.

Como se inscrever:

Comprove depósito de R$ 10,00 (Dez Reais) para a conta:
AG: Banco do Brasil
AG.: 0150-3
Cc.: 66.674-2
Titular da conta - Nathally Amariá

Preencha a Ficha de Inscrição observando os pré-requisitos abaixo.

Nome da cena
Nome da atriz ou ator
Autoria
Direção
Tempo de duração
Classificação etária.
Sinopse com máximo de 7 linhas
Texto ou roteiro da cena
3 fotos em alta resolução (300 DPI)

·         A inscrição pode ser realizada via email: festsolos@gmail.com ou diretamente com a produção [Responsável pelo recebimento das fichas de cadastro e comprovante de depósito: Nathally Amariá (22) 9-9813-5036] ;

·        O valor da da inscrição será arrecadado para podermos oferecer uma melhor estrutura no evento. Os participantes receberão registros fotográficos de alta qualidade e terão contato com um espaço aconchegante e uma equipe preparada para os atender;

·        O prazo de inscrição é ate 14 de junho, de 2017 à 26 de Maio de 2017.

·        O candidato pode inscrever quantos trabalhos achar necessário;

·        Para mais informações basta enviar uma mensagem para: festsolos@gmail.com.

BLOG DO FESTSOLOS: festsolos.blogspot.com
Página no FACEBOOK: @festsolos


 FESTSOLOS IV - FARRA DE ATORES - 2017
Datas: 07, 06 e 09 de Julho.
Local: Usina 04 - Cabo Frio

FICHA DE INSCRIÇÃO:

Nome completo:_____________________________________________

Cidade ___________________ Endereço__________________________

Telefone pra Contato__________________________________________

E-MAIL______________________Site ou Blog______________________


Dados do solo:
Nome da cena: _______________________________________________
Nome do grupo: ______________________________________________
Nome da atriz ou ator: _________________________________________
Autoria: _____________________________________________________
Direção: _____________________________________________________
Tempo de duração: ____________ , Classificação etária ______________

Breve currículo do participante
______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

Envie para: festsolos@gmail.com os seguintes itens:

Ficha de Inscrição preenchida
3 fotos em alta resolução (300 DPI)
Texto ou roteiro da cena.
Material que irá utilizar em cena.