domingo, 9 de julho de 2017

Fest Solos questiona o machismo histórico no teatro, e promove um debate só com mulheres.

Algumas pessoas questionaram a decisão da produção do Fest Solos em promover um debate apenas com mulheres, falando sobre a vida artística das mulheres do teatro, na Região dos Lagos: "Vocês são loucos, as feministas vão acabar com o evento"! Comentário como este nos fez aumentar a paixão e radicalizar. Somos todos feministas... Desejamos que elas falem de teatro, e toda fala será bem vinda! Uma roda que junta Silvana Lima, Meri Damasceno, Jane Lacerda, Nayara Gomes, Rafaela Solano, Manuela de Lelis, Tania Arrabal e Deborah Diniz é simplesmente uma explosão do que há de melhor, não apenas nas artes locais, mas também, pelo que todos estamos passando. Cabo Frio e seu teatro, trazendo para a discussão, a voz do amanhecer. A mulher conduzindo a frenética força do teatro local.
O Feminismo é algo que está intrínseco ao Fest Solos. Claro que nossa bandeira é o teatro, mas não podemos deixar de marcar que mulheres como Nathally Amariá e Ana Luiza Barbosa, estão à frente deste evento, cada vez, mais imprescindível para a cena teatral de Cabo Frio. Também é bom lembrar que a mulher é a grande força que move o Fest Solos. Este ano, em número maior, no palco e como em todos os anos anteriores, a força voluntária que estimula o evento é, também, em sua maioria, feminina.. Não tem jeito, agora é hora de aprender, compreender e reinventar o caminho que devolva ao mundo sua real natureza. O mundo é MULHER!

sexta-feira, 7 de julho de 2017

Varal do Beijo - A Invasão da cor, luz e traços, no mundo do teatro!

Marcelo Tosta, Lorena Benevenuto e Rapha Ferreira. Um grande encontro entre o olhar do artista visual para a realidade carnal do TEATRO!

Rapha, Marcelo e Lorena - A invasão do olhar, de quem vê o mundo
pela luz, cor e traços!
Desde 2014, quando iniciou sua atividade no Cine Mosquito, o Varal do Beijo vem mostrando, de forma inusitada, o trabalho de artistas visuais da cidade de Cabo Frio e região dos lagos. São criações incríveis, exposta de forma a buscar olhares e fomentar o diálogo entre as artes. Uma sacada incrível da jovem atriz e produtora, Nathally Amariá, que cursa faculdade de Artes Visuais.
Foram muitos os artistas visuais amadores e profissionais, que expusera no Varal do Beijo, além de um acervo incrível, adquirido de artistas de diversos lugares do Brasil, a dinâmica deste varal é, o sentido de mostrar e trocar informações sobre a vida artística de desenhistas, pintores e fotógrafos, e suas formas de produzir para dialogar com o olhar do público em geral.
O varal do Beijo, estará acontecendo no FesTSolos IV, do dia 07 ao dia 09, no USINA 4. Mas promete continuar em outros eventos, além de sua presença assídua no Cine Mosquito!

Com curadoria de Nathally Amariá - Artistas da Região, cada vez mais, estão marcando presença nos eventos de cinema e
teatro. É a arte, conquistando novos espaços e artistas se revelando para o mundo - Foto: Jidduks
Quando curadoria e artistas se encontram, o resultado é um olhar refinado, inquieto e profundamente artístico.
Nathally e Lorena - Foto: Jidduks
Viver e manusear obras de arte, é a vocação do Varal do Beijo - Foto: Jidduks

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Nadir Pires, apresentará duas tardes do Fest Solos.

Depois de surpreender como apresentadora do Cine Mosquito 67, não teve jeito, tivemos de convidá-la, também, para o Fest Solos. Seu talento, já é conhecido de todos. Mas talento e beleza não explica tudo sobre esta jovem e dedicada atriz da Região dos Lagos. Nadir Pires, é assídua e focada, o que faz dela uma profissional, com DRT e tudo. 
Nas mostras diurnas dos dias 08 e 09 de Julho, sábado e domingo, ela estará com a gente, dessa vez, apresentando o evento, mais uma vez, abrilhantando a tarde dos cabofrienses que curtem ir ao teatro e que gostam de estar no Fest Solos. Ficamos todos felizes quando ela aceitou o convite e isso irá contribuir para o crescimento deste evento que veio para ficar. Já é quarta edição do Fest Solos e a cidade toda está feliz por viver mais este momento de energias criativas para o teatro e as artes locais.

Leia esta breve entrevista concedida a Jiddu Saldanha, no início do ano, para o blog Cine Clipe Musical, reproduzido aqui. 

Nadir Pires com os amigos de sua geração, no como apresentadora
do Cine Mosquito 67.
Jidduks  – Fale um pouco da tua vida artística, como começou e quais as suas aspirações.
Nadir Pires - Desde que me entendo por gente tenho o sonho de ser atriz. Nunca tive acesso à nenhum tipo de cultura quando era criança, na minha cidade não tinha teatro, meus pais nunca me incentivaram a leitura, não tínhamos dinheiro e nem costume de ir ao cinema. Nas escolas em que frequentei não tinham nenhum projeto ligado a arte. Meu único contato com esse mundo era através da televisão que foi a semente que plantou esse grande sonho no meu coração. E tentando resumir porque já escrevi demais, depois de muito lutar; aparece um anjo na minha vida, que não só apoiou o meu sonho, mas me impulsionou a realizá-lo, pagando minha primeira aula de teatro que fez com que já no primeiro dia confirmasse que jamais seria feliz fazendo outra coisa na vida. Foi no ano de 2014, desde de então nunca mais parei.
JKS- O que é arte pra você?
N. P. - A arte pra mim é uma forma de expressar suas emoções, sua história e sua cultura através de várias formas, como música, escultura, pintura, cinema, dança, poesia ou qualquer outra forma de pôr para fora o que existe dentro de cada um de nós.
No ensaio fotográfico com a Mala da Fama - 2017

JKS – O que mais te emociona e faz feliz?
N.P. - A bondade nas pessoas me emociona, qualquer gesto de bondade, por menor que seja, faz tanta diferença, infelizmente é algo tão raro que quando eu me deparo com certas atitudes, dou muito valor. A natureza em toda sua magnitude me faz feliz, entrar no mar, contemplar o céu mesmo quando está cinzento me faz feliz!

JKS  – Quais seus livros, músicas e filmes preferidos?
N.P. - O meu livro preferido não poderia deixar de ser aquele que mudou a minha vida. O livro "O Segredo" me fez olhar para o mundo de outra maneira, eu realmente descobri o segredo para ter uma vida mais leve com energias positivas e consequentemente me sentir mais feliz.
Quanto à música não tenho como dizer. Sou livre de preconceitos quanto a isso. Escuto de tudo, se me faz sentir algo bom, faz sentido.      

Duas OFICINAS do FesTSolos que serão sempre lembradas. Rodrigo Sena e Marcelo Tosta!

Foi emocionante compartilhar os momentos tão bonitos da arte do ensinar e aprender, com dois artistas bem relevantes, da Região dos Lagos. Marcelo Tosta e Rodrigo Sena, mostraram porque são considerados tão importantes para nossa região. O Fazer teatral, mais do que, ensinar e aprender, é um exercício de troca onde flui o melhor de cada aprendiz e onde o mestre, também aprende. 

Oficina com Rodrigo Sena - "Em Busca de uma Consciência Corpórea"
Foto: Jidduks

Oficina com Rodrigo Sena - "Em Busca de uma Consciência Corpórea"
Foto: Jidduks

Oficina com Rodrigo Sena - "Em Busca de uma Consciência Corpórea"
Foto: Jidduks

Oficina de Marcelo Tosta - "Meu Solo para o Solo do Mundo"
Foto: Jidduks

Oficina de Marcelo Tosta - "Meu Solo para o Solo do Mundo"
Foto: Jidduks

Oficina de Marcelo Tosta - "Meu Solo para o Solo do Mundo"
Foto: Jidduks


quinta-feira, 29 de junho de 2017

Rodrigo Sena e Marcelo Tosta - Oficinas de qualidade. Teatro de Alto Nível!

Para aqueles que curtem viajar para estudar fora, é bom lembrar que fazer arte e fazer turismo, são coisas bem diferentes. Estar na presença de artistas locais, com formação adequada e com histórico de carreira com realização e bons resultados, é a melhor maneira de aliar custo-benefício e ampliar a atividade artística pessoal.


Dois fortes nomes, militantes ferrenhos da vida teatral na região dos lagos, Rodrigo Sena e Marcelo Tosta são patrimônios artísticos locais. Ambos, com diversos talentos, capacidade de mobilizar público e artistas, mas com personalidades completamente diferentes. Uma oficina dos dois profissionais, num mesmo dia, para a mesma clientela, vai proporcionar uma imensa gama de possibilidades onde, certamente, o teatro sairá vencedor.
Serão dois momentos inesquecíveis, resultado de muita transpiração. O Fest Solos conseguiu, este ano, proporcionar este encontro magnífico, para que a troca de conhecimento tenha sua abrangência em nossa Região. Marcelo e Rodrigo, cada um, na sua especialidade, vão levar a reflexão e o fazer teatral como proposta, para ajudar a turbinar os artistas que estão começando agora, e, também, aqueles que já estão a algum tempo no mercado, pois, as oficinas serão abertas a todos e o investimento é completamente acessível para quem quiser participar. A valorização do artista local, passa, também, pelo reconhecimento do fato de que aqui, temos artistas de grande relevância nacional.



Androgina Cianurêta irá apresentar o FesTSolos pelo Quarto Ano Consecutivo.

Desde que surgiu, em 2013, Androgina Cianurêta - a palhaça mais perigosa do planeta tem feito a alegria do FesTSolos. Este ano, pela quarta vez consecutiva, ela mostra seu talento, irreverência a forma completamente "absurda" de envolver o público, com suas tiradas no melhor estilo funéreo.

Androgina Cianurêta - A palhaça mais perigosa do planeta. Foto: Ana Luiza Barbosa
Personagem criada pela atriz Kéren-Hapuk, Androginam está completando 5 anos de criação, desde que pisou pela primeira vez, no palco do teatro municipal, na mostra de cenas curtas do OFICENA - Curso Livre de Teatro,, em 2013, onde aprendeu técnicas de palhaçaria e acabou adotando como parte de sua vida artística a prática bufonica e palhacesca, somando a seu repertório artístico tão variado.
De lá pra cá foi só alegria e bizarrice. Androgina é conhecida como a palhaça que não ri. Num primeiro momento, o público estranha, mas depois, essa estranheza se converte em grande admiração pela alargada criatividade e inventividade da personagem e da intérprete. Um trabalho que envolve muita concentração, além de muitos dias de preparação.

Atriz, Musicista e Diretora Teatral, da nova geração de artistas de Cabo Frio, Kéren-Hapuk faz questão de exercer sua
autonomia e construir seu próprio caminho, como observadora do cotidiano da cidade. Foto: Ana Luiza Barbosa

quarta-feira, 28 de junho de 2017

FesTSolos - O teatro não pode parar!

Atendendo a uma demanda das novas gerações do teatro de Cabo Frio e Região dos Lagos, este ano, o Fest Solos enfrentou sua mais forte crise, mas vai acontecer. Com a agenda garantida, inscrições feitas e jovens destemidos, se preparando, a cada momento, para enfrentar o palco e ajudar o teatro local a não perder seu vigor e presença, na agenda da cidade. Sejam todos bem vindos.

Foto do Terceiro FesTSolos - O vigor e a energia dos artistas locais a serviço da criação de uma ecologia que envolva as
novas gerações, com participação efetiva e ousada no festival!

ESTÁ CHEGANDO O MOMENTO

Dias 07, 08 e 09 de Julho, 5 mostras livres de cenas curtas e outras loucuras no palco, cada uma com um tempo máximo de 12 minutos, vão fazer acontecer aquilo que era e sempre foi um sonho da cidade de Cabo Frio; manter um festival interno que contemplasse atores amadores e profissionais locais, todos focados na experimentação de suas criações artísticas e, também, na ousadia de encarar o palco sozinho, uma experiência única, que marca para sempre. Cria do FESQ, Festival de Teatro histórico de Cabo Frio, o FesTSolos foi estimulado a acontecer e já está na sua quarta edição.
A história recente do Fest Solos, tem sido motivo de grande orgulho para a cidade, mas também, resultado de uma batalha constante para trazer a arte e a novidade de forma empolgante e que inclua todos os tipos de iniciativas. Driblando dificuldades aqui e ali, não perdemos nunca o sonho de vista. O FesTSolos veio para ficar e está ficando. Com força, energia, dedicação e sempre surpreendendo, quer seja pela coragem dos realizadores, em nunca desistir e também pela capacidade que as novas gerações tem de aproveitar o seu "pulo do gato"! Um evento que resume, de forma afetiva e apaixonante, a paixão que faz da arte um meio de  tornar a vida possível para aqueles que não desistem de seus sonhos e querem experimentar sua linguagem.



RODRIGO SENA E MARCELO TOSTA - DOIS BALUARTES DO TEATRO LOCAL, ESTARÃO DANDO OFICINAS PARA O FEST SOLOS - EDIÇÃO Nº 4 - 2017! QUER MAIS?

Rodrigo Sena e Marcelo Tosta - Dois baluartes do Teatro local, emprestam seu amor, simpatia e energia para contribuir com a transmissão de seus conhecimentos em duas oficinas que prometem ser inesquecíveis para a formação do artista local.

Poder contar com dois artistas de peso, que viveram todos os grande momentos do teatro local de Cabo Frio,
vai ser a consagração desses dois fortes nomes do teatro local, que nunca pararam de produzir e agora, mais
do que nunca, transmitem generosamente, seu conhecimento para as novas gerações.
VENHA FAZER A OFICINA COM ELES - AINDA DÁ TEMPO - INSCREVA-SE: Dias 01 e 02 de
Julho.