sábado, 17 de junho de 2017

Merda para o OFICENA - 4º Encontro de Leitura Dramatizada.

Até aqui, o OFICENA vem sobrevivendo a fortes crises econômicas. Apesar disso, não deixa de se reinventar e cumprir sua missão mais importante, iniciar adolescentes e jovens de Cabo Frio e região, na complexa tarefa do Fazer Teatral. Apesar de ser um curso glamuroso e divertido, o curso oferece uma agenda de desenvolvimento para o jovem aprendiz de teatro, onde nada vem fácil. Tudo é fruto de muito trabalho, pequisa e, principalmente, SEGURAR NA MÃO DO AMIGO para, juntos, gritar... "Merdaaaaa"!

Uma Leitura Dramatizada que promete ser um espetáculo à parte... Foto: Nathally Amariá
Leitura dramatizada uma tradição dentro do Oficena-Curso Livre de Teatro da Secretaria Municipal de Cultura de Cabo Frio.

O estudo é o motor da atividade humana, que visa  trazer o conhecimento. Dinamizamos suas etapas para a construção da cena teatral. É por isso que o oficena desenvolve a atividade dramatúrgica como forma de equipar o aluno. O texto escrito é uma das mais poderosas ferramentas do teatro.

Espaço de estudo, reflexão e criação de textos para teatro, o NUDRA = Núcleo de Dramaturgia Livre, faz do pensar e
escrever, uma atividade lúdica e com resultado. Todos os alunos do OFICENA participam e criam suas obras de forma
coletiva ou individual. Foto: Jidduks
ASSIM SURGIU O  NUDRA- NÚCLEO DE DRAMATURGIA LIVRE

Desde da sua fundação, já foram escritas mais de 250 peças textos. Todos desenvolvidos pelos atores  alunos do OFICENA.   A leitura dramatizada é, hoje, parte integrante  da agenda do curso. Os estudantes fazem a leitura pública de suas obras  escritas durante os encontros promovidos pelo NUDRA.  Para este ano  o oficena traz um ar de espetáculo. A leitura como forma de encantamento, que inclui o desfile artístico pelas ruas de Cabo Frio, até o local onde o evento vai acontecer.
Com isso destacamos o trabalho autoral do aluno e mostramos  a qualidade da temática local, uma espécie de pesquisa do inconsciente  autoral, da juventude que faz teatro em Cabo Frio.
ALUNOS ADULTOS - Turno da noite.
Anderson Souza, Caio Danarim, Celso Guimarães, Dandara Melo, Daniel Simões, Danilo Tavares, Jean Monteiro, Júlia Marques, Letícia Ferreira, Lucas Soeiro, Raphael Araújo, Rubenig Rodrigues, Tamires Borges e Wallace Matheus.

Os alunos da tarde, formam o NUDRINHA, e cada trabalho dramatúrgico surge a partir de improvisações que resultam
na criação e escrita coletiva dos textos teatrais. Foto: Jidduks
NUDRINHA : Turma infanto-juvenil, tarde.

O “Nudrinha” é a forma carinhosa como chamamos  a atividade dramatúrgica dos alunos da tarde, infanto-juvenil, nele as discussões acontecem durante as aulas de interpretação como exercícios  de   improvisação de cenas. Assim surge  a elaboração dos textos, de forma coletiva.

quinta-feira, 8 de junho de 2017

SOPA - A PERFORMANCE - Nova fase do TCC - Teatro Cabofriense de Comédia.

A performance "SOPA". Além de inaugurar uma nova fase do TCC - Teatro Cabofriense de Comédia, entra no território da arte conceitual e busca um olhar para o universo da ação cênica, como desinstalação de olhares e ambientes estereotipados.

O desenvolvimento da linguagem cênica, passa por olhares diversos, que não só, e, apenas, o olhar cênico tradicional. O teatro, como o cinema e tantas outras formas de manifestação artística, são olhares e nada mais. No caso de Cabo Frio, olhares que perpassam a URBE-PRAIANA, essa profundidade abissal de formas que se transformam, conforme a cidade mergulha em seu próprio caos. Afunda e emerge, ao mesmo tempo, criando uma espécie de ciranda das essências.
Este é o material dispendido na linguagem da performance "SOPA" que estreou no Centro Cultural Lagos, nas Palmeiras - Cabo Frio, no show da cantora Sarah Dhy, dia 29 de abril de 2017, interpretando a música "Infinito Particular" de Maris Monte. 
O trabalho, desenvolvido pela atriz e estudante de artes visuais, Nathally Amairá, foi repetido no Cine Mosquito 65, dia. A concepção básica deste trabalho é para espaços onde a treatralidade, muito mais que constituída, é construída, em função do ambiente onde a proposta se desenvolve. Com "direção conceitual" de Jiddu Saldanha, é um trabalho cuja visibilidade se constrói, a partir da relação entre atriz, espaço, e platéia, para, assim, fazer brotar o momento cênico.
Sopa - A Performance
Nathally Amariá - No Cine Mosquito 65, vive o momento de um primeiro contato com a
performance como proposta cênica.

Sopa - A Performance 
 Atuação conceitual - Nathally Amariá Andrade
Direção conceitual - JIddu Jiddu Saldanha
Realização: TCC - Teatro Cabofriense de Comédia 
Música: Infinito Particular - Marisa Monte 
Foto: jidduks
Estreia - No Centro Cultural Lagos - Cabo Frio / RJ