sexta-feira, 21 de março de 2014

O grupo "Entre Palcos" entra em cena.

Dia 29 de de Março de 2014, no Teatro Municipal de São Pedro da Aldeia, será um dia importante para a garotada que resolveu encarar a empreitada de levar a diante a semente do primeiro grupo de teatro amador a se formar em Cabo Frio nos últimos 10 ou 15 anos!

O OFICENA, é resultante de uma sucessão de sementes lançadas em Cursos anteriores, que já aconteceram no Teatro Municipal de Cabo Frio. O curso, se confunde com a história do próprio teatro e já teve vários professores. A começar pelos fundadores, José Facury e sua equipe da época, tendo como um dos últimos mestres o inesquecível Frederico Araújo, o Fred. Que hoje, por reconhecimento à sua imensa luta por permanência de um curso livre na cidade, ganhou, no próprio teatro, uma sala com seu nome. A sala Frederico Araújo é um espaço de reflexão artística e acolhe professores de diversas áreas artisticas, é utilizada para reuniões e tem uma biblioteca diversificada em temas variados mas, principalmente, focado, em estudo de teatro.
       Em 2013, o curso teve sua retomada, com a figura de Italo Luiz Moreira, diretor de teatro, e que, criou o grupo de teatro "Andança, por um Teatro Livre", (o grupo ANDANÇA completará 16 anos, no mesmo ano em que o teatro municipal de cabo frio completará 17). Já, Yuri Vasconcellos, escolhido pela atual administração, para ser o diretor do teatro, em sintonia com o secretário de cultura, José Facury, decidiram pela retomada do curso de teatro no teatro da cidade. O resto é a história que se está construindo.
A formação de novos grupos de teatro na cidade, está restringida a pelo menos 10 anos. Considerando algumas ações recentes como "Bicho de Porco", um grupo que já existia e que se transferiu para Cabo Frio e manteve 3 anos de atividade. Tem o caso também da "Trupe Andarilhos de Teatro", que se formou em Volta Redonda, atuou no Rio de Janeiro e agora está sediada em Cabo Frio, fora isso, uma formação sólida de um novo grupo na cidade, com pessoas locais, não acontece a pelo menos 10 anos, para não dizer, 15. Podemos afirmar, até, que, é provável que o único grupo sólido, de fato, na cidade, seja o "Creche na Coxia", hoje um grupo profissional, com a base de sua liderança formada em escola de teatro,que, mesmo tendo sido formado no Rio de Janeiro, ganhou nome definitivo em Cabo Frio e praticamente incubou uma geração nascida nas "entranhas do teatro local".

Com um elenco de alunos destacados no curso OFICENA, o "Entre Palcos" inicia sua atividade com os atores: Hugo Leal, Roberto Pedra, Vânia Petra, Fátima Pessanha, Nathally Amariá, Kéren-Happuk, Ednaldo Alves, Anna Knneip, Claudia Mury, Herold Lino, Matheus D'Castro, Gustavo Vieira e Daniela Barbosa.
    O grupo "Entre Palcos", nasce, no olho do furacão. Num momento histórico para o teatro local. Exatamente num momento em que a cidade parece acenar com alguma política viável para o teatro, se comprometendo, de alguma forma, com o fato de que, assim como uma cidade constitui grupos de hip hop, dança clássica e contemporânea, é natural que tenha um movimento espontâneo de teatro amador com raízes fincadas na localidade. Neste sentido, é possível e provável, que o grupo "Entre Palcos" represente mais uma possibilidade, nesse imenso caldeirão cultural que é a cidade de Cabo Frio.

Com o espetáculo "Auto da Compadecida", dirigido por Italo Luiz Moreira e Jiddu Saldanha, o grupo Entre Palcos, inicia uma jornada em direção à sua própria história.
Com um elenco de alunos destacados no curso OFICENA, o "Entre Palcos" inicia sua atividade com os atores: Hugo Leal, Roberto Pedra, Vânia Petra, Fátima Pessanha, Nathally Amariá, Kéren-Happuk, Ednaldo Alves, Anna Knneip, Claudia Mury, Herold Lino, Matheus D'Castro, Gustavo Vieira e Daniela Barbosa. Dia 29 de de Março, será um dia importante para a garotada que resolveu encarar a empreitada de levar adiante a semente do primeiro grupo de teatro amador de Cabo Frio nos últimos 10 ou 15 anos. O que, a princípio parecia um delírio, um salto no meio do nada, provou-se não ser nada disso. Na verdade, é uma geração de jovens buscando autonomia e buscando experimentar, de forma mais profunda, a relação com um tipo de arte que só se faz coletivamente, com muito trabalho e, sobretudo, gerenciando o próprio destino.
O elenco do "Auto da Compadecida", demonstrou competência, surpreendendo a equipe
de professores e público presente. Ali já estava lançado o dado do destino, aquele elenco seria, a
formação do "Entre Palcos" primeiro grupo de teatro nascido das aulas do OFICENA; 
VEJA O VÍDEO.

 
     
CONHEÇA A PÁGINA DO GRUPO NO FACEBOOK E FAÇA PARTE DA CONSTRUÇÃO DESSE SONHO COLETIVO.

_________________________________________________________

Quando o espetáculo "Auto da Compadecida" 
estreou, no TEATRO MUNICIPAL DE CABO FRIO, 
José Facury, atual secretário de cultura
escreveu essas palavras. 
A estréia, que foi um compromisso de montagem 
do OFICENA (Curso Livre de Teatro do Teatro Munciipal de Cabo Frio), 
hoje é administrado praticamente pelo mesmo elenco
que ensaiou e participou do espetáculo, 
e que passou a formar o grupo "Entre Palcos"!

SUASSUNA EM TOM MAIOR
Por José Facury Heluy

Um curso de teatro sem as características de formação especificamente aprofundada para dar certo necessita de vetores importantes que se chamam conhecimento superficial e muita paixão. A prática teatral é uma arte que não necessita no seu exercício de montagem de maiores conhecimentos técnicos. Estes são muito mais aprendizados que vão se incorporando a partir da prática para sedimentar os conhecimentos adquiridos nas repetidas experiências, movidas pela paixão em aglutinar talentos e fazê-los entender seus limites. Tudo, mas tudo o mesmo possível para mergulhar e expressar no universo do autor a ser montado.Um curso se torna de excelência com apenas uma premissa que, ao final das suas etapas, os aprendizes consigam expressar a energia dramatúrgica buscada pelo autor.
O Oficena, curso regular gratuito do Teatro Ina Azevedo Mureb que inicia de maneira brilhante o seu circuito de aprendizado fez isso com sobras. Primeiro, apresentou no meio do ano um resultado parcial onde coletivizou as turmas menores e apresentou lindas cenas curtas onde autor e atores originais se mesclavam munidos por uma paixão excêntrica.Já via-se ali onde poderiam chegar.A empreitada era maior...O AUTO DA COMPADECIDA do mestre de todos nós, nordestinos desgarrados, que ainda se arrepiam vendo ou fazendo teatro, Ariano Suassuna.
São mais de quarenta atores em cena e uns vinte, já com excelências interpretativas que seguram os personagens da Compadecida com o pé e não os largam de jeito nenhum com destaque para os atores que fizeram os inenarráveis João Grilo e Chicó, um pouco buscando os tons da última montagem televisada da obra, mas dando-lhes uma roupagem própria.O ponto alto do espetáculo, ao meu ver, é o diabo interpretado pelas três, já prontas atrizes que através de partituras corporais, dão também uma leitura a mais naquilo que a obra se propõe. E como o teatro é belo por nos trazer tantas possibilidades de leituras.
O cenário, a iluminação e a musicalidade embalada pelo corpo de tantas vozes estão ali a serviço da cena cumprindo seus papéis como sempre devem cumprir. Sem mais, nem menos. E os mestres do Oficena...Sei que não é fácil!Tem uma hora que se acha que não vai dar certo. Mas vocês conseguiram, assim como no passado Mães de Aluguel e Faca de Dois Gumes também fizeram os noviços atores emanarem beleza e arte e estarem até hoje se aperfeiçoando na arte de interpretar.Cabe agora fazer um circuito de apresentações para entenderem os meandros dessa arte ainda mais, e, cada um, solidificar o aprendizado com ou a partir destes belos mestres que vocês tiveram nessa primeira empreitada cênica.(JFH)

SE QUISER CONHECER MAIS SOBRE O OFICENA (Curso Livre de Teatro do Teatro Municipal de Cabo Frio) acompanhe a página do curso pelo facebook!

Nenhum comentário:

Postar um comentário