quarta-feira, 5 de julho de 2017

Nadir Pires, apresentará duas tardes do Fest Solos.

Depois de surpreender como apresentadora do Cine Mosquito 67, não teve jeito, tivemos de convidá-la, também, para o Fest Solos. Seu talento, já é conhecido de todos. Mas talento e beleza não explica tudo sobre esta jovem e dedicada atriz da Região dos Lagos. Nadir Pires, é assídua e focada, o que faz dela uma profissional, com DRT e tudo. 
Nas mostras diurnas dos dias 08 e 09 de Julho, sábado e domingo, ela estará com a gente, dessa vez, apresentando o evento, mais uma vez, abrilhantando a tarde dos cabofrienses que curtem ir ao teatro e que gostam de estar no Fest Solos. Ficamos todos felizes quando ela aceitou o convite e isso irá contribuir para o crescimento deste evento que veio para ficar. Já é quarta edição do Fest Solos e a cidade toda está feliz por viver mais este momento de energias criativas para o teatro e as artes locais.

Leia esta breve entrevista concedida a Jiddu Saldanha, no início do ano, para o blog Cine Clipe Musical, reproduzido aqui. 

Nadir Pires com os amigos de sua geração, no como apresentadora
do Cine Mosquito 67.
Jidduks  – Fale um pouco da tua vida artística, como começou e quais as suas aspirações.
Nadir Pires - Desde que me entendo por gente tenho o sonho de ser atriz. Nunca tive acesso à nenhum tipo de cultura quando era criança, na minha cidade não tinha teatro, meus pais nunca me incentivaram a leitura, não tínhamos dinheiro e nem costume de ir ao cinema. Nas escolas em que frequentei não tinham nenhum projeto ligado a arte. Meu único contato com esse mundo era através da televisão que foi a semente que plantou esse grande sonho no meu coração. E tentando resumir porque já escrevi demais, depois de muito lutar; aparece um anjo na minha vida, que não só apoiou o meu sonho, mas me impulsionou a realizá-lo, pagando minha primeira aula de teatro que fez com que já no primeiro dia confirmasse que jamais seria feliz fazendo outra coisa na vida. Foi no ano de 2014, desde de então nunca mais parei.
JKS- O que é arte pra você?
N. P. - A arte pra mim é uma forma de expressar suas emoções, sua história e sua cultura através de várias formas, como música, escultura, pintura, cinema, dança, poesia ou qualquer outra forma de pôr para fora o que existe dentro de cada um de nós.
No ensaio fotográfico com a Mala da Fama - 2017

JKS – O que mais te emociona e faz feliz?
N.P. - A bondade nas pessoas me emociona, qualquer gesto de bondade, por menor que seja, faz tanta diferença, infelizmente é algo tão raro que quando eu me deparo com certas atitudes, dou muito valor. A natureza em toda sua magnitude me faz feliz, entrar no mar, contemplar o céu mesmo quando está cinzento me faz feliz!

JKS  – Quais seus livros, músicas e filmes preferidos?
N.P. - O meu livro preferido não poderia deixar de ser aquele que mudou a minha vida. O livro "O Segredo" me fez olhar para o mundo de outra maneira, eu realmente descobri o segredo para ter uma vida mais leve com energias positivas e consequentemente me sentir mais feliz.
Quanto à música não tenho como dizer. Sou livre de preconceitos quanto a isso. Escuto de tudo, se me faz sentir algo bom, faz sentido.      

Nenhum comentário:

Postar um comentário