domingo, 9 de julho de 2017

Fest Solos questiona o machismo histórico no teatro, e promove um debate só com mulheres.

Algumas pessoas questionaram a decisão da produção do Fest Solos em promover um debate apenas com mulheres, falando sobre a vida artística das mulheres do teatro, na Região dos Lagos: "Vocês são loucos, as feministas vão acabar com o evento"! Comentário como este nos fez aumentar a paixão e radicalizar. Somos todos feministas... Desejamos que elas falem de teatro, e toda fala será bem vinda! Uma roda que junta Silvana Lima, Meri Damasceno, Jane Lacerda, Nayara Gomes, Rafaela Solano, Manuela de Lelis, Tania Arrabal e Deborah Diniz é simplesmente uma explosão do que há de melhor, não apenas nas artes locais, mas também, pelo que todos estamos passando. Cabo Frio e seu teatro, trazendo para a discussão, a voz do amanhecer. A mulher conduzindo a frenética força do teatro local.
O Feminismo é algo que está intrínseco ao Fest Solos. Claro que nossa bandeira é o teatro, mas não podemos deixar de marcar que mulheres como Nathally Amariá e Ana Luiza Barbosa, estão à frente deste evento, cada vez, mais imprescindível para a cena teatral de Cabo Frio. Também é bom lembrar que a mulher é a grande força que move o Fest Solos. Este ano, em número maior, no palco e como em todos os anos anteriores, a força voluntária que estimula o evento é, também, em sua maioria, feminina.. Não tem jeito, agora é hora de aprender, compreender e reinventar o caminho que devolva ao mundo sua real natureza. O mundo é MULHER!

Nenhum comentário:

Postar um comentário